Artigos

OS CRITÉRIOS DE QUALIDADE

OS CRITÉRIOS DE QUALIDADE

Lembre-se que o PREÇO DE VENDA não é a COTAÇÃO DO CATÁLOGO

No site www.oselo.com.br adotamos os seguintes critérios relacionados à qualidade dos selos.

SAIBA MAIS....

Leia mais

TÍTULO - Fator de sucesso de uma coleção competitiva

TÍTULO -  Fator de sucesso de uma coleção competitiva

O primeiro passo para sair do puro “colecionismo” e montar uma coleção competitiva é definir seu título.

A definição de um título é uma função do tema que você acumula, daquilo que você mais entende (CONHECIMENTO e PESQUISA valem 35 pontos), daquilo que você mais gosta (seu prazer é "priceless" na filatelia).

No casamento do material com o título escolhido começa a montagem de uma coleção competitiva. A exemplo de todo casamento o entusiasmo inicial passará por crises. Algumas crises nas coleções Tradicionais tem mais fácil superação. Na História Postal e Temática pode haver mais briga e até divórcio.

Na vida de uma coleção Tradicional o expositor se casa com o Catálogo. Na História Postal e Temática se casa com o Título.

A importância do título escolhido, sua originalidade e sua integração com o material apresentado são fatores críticos de sucesso na avaliação de uma coleção.

 A definição de um título para uma coleção esta intimamente amarrada à disponibilidade de material, ao poder aquisitivo para adquirir o material crítico, à definição do “time range” da coleção e, principalmente, escrever a página introdutória. Ir montando uma coleção e deixar para escrever a página de introdução na véspera da Exposição seguramente trará grande desapontamento.

Não definir um título com este rigor fara o filatelista perder o foco. Fará o expositor jogar dinheiro fora na aquisição de material inadequado ao tema.

Um título é a coletânea de SUBTÍTULOS os quais são os capítulos de uma história. Subtitulos são a dinâmica entre o Material e o Tratamento (só para lembrar TRATAMENTO vale 20 pontos). Subtítulos definem o equilíbrio do material dentro da coleção e a “mancolista” do expositor.

A seleção do titulo de uma coleção é ainda fator determinante na pontuação da mesma em termos de RARIDADE (20 pontos) e IMPORTÂNCIA (10 pontos). A escolha de um título dentro do qual não caibam Raridades, ou quando estas são inacessíveis é o caminho certo para nunca se chegar a um Ouro Grande. A escolha de um título muito especifico, de um tema muito especializado, uma região insignificante, uma emissão sem charme filatélico podem até trazer satisfações na pontuação sobre Conhecimento mas não contribuem para alcançar os 10 pontos na Importância.

O titulo de uma coleção é também o fator determinante nas DECISÕES DE COMPRA de material durante a vida útil de uma coleção. A aquisição de uma peça é o compromisso entre preço, raridade, estado, beleza e.. principalmente seu significado no contexto. Uma peça bonita, rara, barata mas sem uma interação forte com o título talvez não deva ser adquirida. Uma peça que ilustra maravilhosamente o título e fundamental no "storyline" deve ser adquirida mesmo com um preço acima do mercado.

Artigo de Everaldo Santos

Expositor Internacional

Jurado FIP

Pesquisador da filatelia sul americana

e um dos maiores representantes da nossa filatelia, reconhecido internacionalmente.

Leia mais

COTAÇÃO E PREÇO

COTAÇÃO E PREÇO

Diversas pessoas têm dificuldade de entender a diferença entre a cotação apresentada no catálogo e o preço de venda de um selo.

Vejamos, por exemplo, o selo de 280 réis vermelho emitido em 1861. É o selo RHM nº 21 cuja cotação apresentada para um exemplar carimbado é de UF 210 (no dia de hoje cerca de R$ 770).

Este selo nasceu para atender às remessas de cartas enviadas do Brasil para a França. Ele era recortado com tesoura e afixado na missiva. Posteriormente alguém retirou o selo da carta (lavando ou arrancando) e guardou.

Claro que este tipo de selo pode apresentar defeitos, rasgos, dobras, furos bem como, em casos raros, margens grandes, cantos de folha, carimbos especiais e sem defeito.

No site www.oselo.com.br podemos verificar como a qualidade muda o valor e para isso peguei quatro exemplos (ilustrados abaixo).

1861 – 280 REÍS COM CARIMBO – RHM Nº 21 – S70797

280 réis com carimbo de pontos, poucas margens e “aminci” (afinamento do papel) por R$ 74,00. 

1861-280 RÉIS CARIMBADO-Nº.21

 

1861-280 réis carimbado, “aminci” (afinamento do papel) na margem inferior, boas margens por R$ 407,00.

1861-280 RÉIS CARIMBADO-Nº.21-S16585

1861-280 réis carimbo âncora e sem defeitos por R$ 555,00.

1861-280 RÉIS- PARA QUEM CONHECE-Nº21-S13603

1861- 230 réis “colorido”, carimbo circular preto, sem comentários por R$ 2.220,00.

O primeiro deles vale 9,50% da cotação e o melhor 2,85 vezes o valor do catálogo. O exemplar pobre custa 3,3¨% quando comparado ao exemplar de luxo. Já o exemplar de R$ 555,00 é como se espera de um exemplar com a cotação do catálogo. Uma peça sem defeitos, boas margens e com certificado de autenticidade.

Acredito que com estes exemplos será possível ver que cotação e preço são coisas muito distintas.

Equipe RHM – 70 anos

Este artigo foi escrito quando a UF era igual a 3,70.

Leia mais